Saúde e bem-estar dos colaboradores em épocas de crise

Veja como manter a saúde física e mental dos colaboradores promovendo ações que visam melhorar o bem-estar

Saúde e bem-estar no trabalho

Durante a pandemia é preciso cuidar do capital humano e entender a importância dos colaboradores para impulsionar o resultado das empresas. Com isso, é necessário atentar-se as dinâmicas que envolvem a saúde e bem-estar dos funcionários, que podem estar fragilizados devido o atual cenário global e com a implementação de novas rotinas.

Primeiro é importante entender que as empresas também são responsáveis pela saúde mental dos seus funcionários, e o bem-estar corporativo não deve ser prioridade apenas nas dependências do escritório, comércio ou fábrica. As sensações e sentimentos que o trabalho causa nas pessoas é responsabilidade das corporações, sendo o RH o setor de maior atuação.

As empresas devem partir do pressuposto que as pessoas não estão apenas trabalhando em esquema de home office, mas que estão trabalhando durante uma pandemia. Muitas atividades de lazer e entretenimento foram interrompidas, e que as famílias estão confinadas todas juntas e nem sempre a divisão de tarefas domiciliares e cuidados com os filhos são separadas, além das interrupções inesperadas e dificuldade de equipamento adequado como computadores e internet.

Nesse cenário de incertezas e eventualidades durante a rotina de trabalho muitas pessoas apresentam dificuldades para conciliar e entender seus sentimentos e comportamentos, e por isso apresentam sintomas prejudiciais relacionados à saúde mental, como ansiedade, insônia e até mesmo depressão.

Com isso, o setor de recursos humanos precisa atuar de forma resiliente para se adaptar as novas mudanças e atender as necessidades da empresa e colaboradores nesse processo.

Iniciativas para promover a saúde mental e bem-estar dos colaboradores:

  • Rodas de conversa: É preciso ouvir os colaboradores e orientá-los sobre as principais questões que envolvem a saúde mental. Por isso, o setor de recursos humanos pode propor rodas de conversas, virtuais nesse momento de isolamento, com palestras e apresentações sobre os cuidados que os colaboradores precisam ter para manter a saúde mental nesse momento.
  • Comunicação transparente: Como mencionamos, esse é um momento de incertezas e cada pessoa lida com esse cenário de maneira diferente. É necessário que as empresas sejam transparentes para que os colaborados não entrem em um ciclo de especulações, assim, a comunicação precisa ser clara e cuidadosa para amparar os funcionários, fortalecer a marca, além de aumentar a confiabilidade e engajamento dos colaborares.

Outra forma de aumentar o bem-estar corporativo é manter o canal de comunicação aberto, reforçar que a empresa e o RH estão dispostos a auxiliar os colaborados com as questões emocionais, voltadas ao trabalho ou não, e ouvir sugestões.

A comunicação pode contar com boletins sobre as atualizações da empresa diante da crise e as medidas tomadas, orientações para cuidar da saúde física e mental, dicas de forma de lazer e até mesmo notícias positivas sobre a pandemia no mundo, como o avanço de pesquisas e índices de cura.

  • Empatia na gestão: Com todas essas mudanças a adaptação dos funcionários ocorre gradativamente, e os aspectos externos podem influenciar a produtividade diária. Por isso é preciso orientar os gestores sobre as melhores práticas para uma comunicação empática e amigável. É importante rever metas e entender o momento de cada colaborador para evitar pressões desnecessárias e traçar estratégias eficientes junto ao RH.
  • Treinamentos: Talvez um dos processos mais difíceis para a resiliência empresarial é se adaptar aos novos processos e ferramentas digitais. Muitos colaboradores podem sentir dificuldades com as novas realidades de trabalho e isso pode implicar em desmotivação e frustrações. Um dos pontos básicos para evitar essa situação é realizar treinamentos completos, em vídeo conferências e criar cartilhas claras com as funcionalidades e tutoriais.
  • Suporte a saúde: A responsabilidade com os a saúde dos colaboradores deve ter atenção redobrada nesse momento, por isso mantenha as orientações de prevenção com frequência. Nesse ponto a campanha pode ser de auxílio para colaboradores infectados, ou até mesmo a vacinação de outras doenças que também são preocupantes, como o sarampo e a gripe.
  • Atenção a ergonomia: Como falamos, nem sempre trabalhar de casa é o melhor cenário, um dos principais problemas é a ausência de um ambiente adequado e de equipamentos seguros. Por isso, oriente os colaboradores a buscarem um ambiente silencioso, quando possível, e confortável, com móveis em uma altura correta e uma boa iluminação. As empresas podem também fazer o envio das cadeiras do escritório para que a rotina de trabalho seja mais confortável.

O RH deve estimular também pausas para descanso e ginasticas laborais para preservar a saúde física dos colaboradores. É importante também que as empresas que não podem realizar as atividades remotamente se atentem as medidas de proteção como: álcool em gel, limpeza do ambiente, o uso de máscaras e o distanciamento entre colaboradores.

Esses são os principais pontos que o RH deve se atentar para preservar a saúde e bem-estar dos colaboradores nesse momento de crise e distanciamento social. Os colaboradores são os principais agentes impulsionadores da marca empregadora, por isso é importante preservá-los e manter a satisfação colaborativa.

Com o fim da crise essas ações vão refletir de forma positiva para o engajamento dos funcionários e a reputação da marca empregadora.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.