Recrutamento e seleção: tudo o que você precisa saber

Tempo de leitura: 20 Minutos

A prática de recrutamento e seleção já é uma velha conhecida, mas existem algumas dicas essenciais que vão ajudar você atrair e reter os melhores talentos na sua empresa

O recrutamento e seleção de talentos é, sem dúvidas, uma das principais e mais importantes atividades dos profissionais de RH. Afinal, é a partir dela que as empresas conseguem encontrar os profissionais que a ajudarão a desenvolver atividades e crescer.

Resumir essa ocupação do RH parece algo bastante simples, mas a verdade é que para ser um bom recrutador, é necessário conhecer profundamente cada etapa de um processo seletivo, além de aplicar a maneira certa de extrair o melhor do mercado.

Este artigo vai ajudar profissionais de RH, e aqueles interessados na área, a conhecerem tudo o que envolve o recrutamento e seleção, além de técnicas importantes para tornar o trabalho mais rápido e eficaz.

Para otimizar a sua experiência neste conteúdo, navegue pelos tópicos abaixo!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

O que é recrutamento e seleção?

Recrutamento e seleção é a atividade do RH que consiste em buscar, atrair, selecionar e contratar pessoas para uma empresa. Esse é um processo fundamental em qualquer corporação e vem recebendo cada vez mais atenção nos últimos anos.

Se você se perguntou o que é recrutamento e seleção, precisa entender também que eles não são sinônimos. 

Cada uma dessas palavras trata de uma atividade distinta, mas que se complementam e dependem uma da outra para atingir os resultados esperados. Para entender melhor, podemos dividir assim:

Recrutamento

O recrutamento é a atividade do RH que fica responsável por atrair candidatos com os perfis ideais para cada vaga. 

Essa função envolve a etapa de criação do job description, a divulgação em diversos canais e o recebimento e triagem dos melhores currículos. Quanto mais bem trabalhada essa etapa for, menor será o trabalho nas próximas.

Vale ressaltar que empresas com um RH mais maduro possuem o seu próprio banco de talentos e buscam primeiro nele quando há uma vaga aberta. Por isso, esse é um trabalho que pode acontecer mesmo quando não há uma vaga em aberto no momento.

Seleção

A seleção é a etapa em que os candidatos mais adequados são escolhidos para seguir no processo seletivo e, quem sabe, preencher a posição.

É no momento de seleção que serão realizados os conhecidos testes, vídeo entrevistas, dinâmicas e entrevistas presenciais já conhecidas pelos profissionais.

Portanto, os critérios para uma boa seleção podem variar de acordo com as necessidades de cada posição aberta. Por isso, existem diferentes formas de recrutar e contratar, como você verá nos próximos tópicos.

Agora que você sabe o que é recrutamento e seleção, baixe:

[eBook grátis] Descubra as boas práticas para atração e retenção de talentos

Por que o recrutamento e seleção é importante para as empresas?

Investir em práticas de recrutamento e seleção ajudam a empresa não só a atrair e reter os melhores talentos, mas também a terem um diferencial a mais para o mercado. 

Afinal, aumentam as chances dos clientes contratarem uma empresa que possua boa reputação e colaboradores eficientes que possam agregar ao seu negócio.

Recrutar e selecionar costuma envolver etapas que, antigamente, eram burocráticas e cada vez mais estão se modernizando com o objetivo de manter os benefícios de um R&S bem feito. 

Entre as vantagens do recrutamento e seleção de alta performance podemos citar:

  • Contratações mais alinhadas ao Fit Cultural;
  • Redução de turnover;
  • Redução de custos;
  • Fortalecimento da estratégia de negócio;
  • Maior produtividade;
  • Probabilidade de sucessão de lideranças;
  • Melhoria do clima organizacional;
  • Promoção da marca empregadora;
  • Melhores resultados para a empresa a médio e longo prazo.

Entre esses pontos citados, o mais importante do recrutamento e seleção é garantir que as contratações estejam pautadas nos valores e ideias da empresa, possibilitando que esse profissional tenha uma boa performance e siga o plano de carreira da instituição. 

Afinal, contratações que não estejam bem alinhadas ao perfil da empresa podem gerar prejuízos que, muitas vezes, vão além do quesito financeiro. Além da necessidade de realizar um novo processo de recrutamento e seleção, bem como integração e treinamentos. 

O que faz um profissional de recrutamento e seleção?

Como citamos anteriormente, o papel do profissional de recrutamento e seleção é encontrar talentos que possam ocupar as vagas em aberto nas empresas.

Por isso, é natural que esse profissional esteja sempre envolvido com as outras áreas e os seus gestores, buscando entender as demandas de contratação e o perfil profissional esperado.

A pessoa de RH que atua com R&S tem um papel cada vez mais estratégico dentro das empresas. Em muitas delas, são profissionais com nomes diferentes, mas que possuem objetivos  parecidos, e com foco em realizar contratações assertivas. Como por exemplo:

  • Headhunter: pessoa prestadora de serviço que possui a função de encontrar perfis com habilidades mais técnicas ou executivas;
  • Recrutador: possui as características semelhantes ao headhunter, mas é um funcionário da empresa. Ele fica designado a realizar todas as contratações que forem necessárias;
  • Analista de R&S: normalmente é profissional que está envolvido de forma mais geral nos processos de contratação;
  • Psicólogo: em algumas instituições também atua como recrutador ou analista de R&S, já que as suas habilidades de avaliar comportamento e outras características podem ser fundamentais para boas contratações;
  • Business Partner: o parceiro de negócios normalmente possui um conhecimento aprofundado em setores variados, por isso, também pode ajudar em contratações estratégicas.

Saiba mais sobre o setor de recursos humanos

Talent Acquisition x Recrutamento

Antes de nos aprofundarmos nas práticas do recrutamento e seleção, precisamos falar sobre a diferença desses dois termos, “recrutamento” e “talent acquisition”, que muitas vezes são associados ao mesmo objetivo: atrair e contratar. 

De forma resumida, o talent acquisition é uma prática a longo prazo, ou seja uma estratégia de recrutamento para compor equipes. Nessa função, o profissional de RH estuda as necessidades da empresa e desenha uma estratégia para se relacionar com os potenciais candidatos, e assim, montar um banco de talentos, mesmo que não exista uma oportunidade em aberto. 

Já o recrutamento é uma prática operacional, que inclui as etapas do processo seletivo que vamos apresentar no decorrer deste artigo. Ou seja, aqui é o momento de trabalhar uma vaga de fato, desde a divulgação e atração, até a aplicação de testes e a contratação. 

Podemos simplificar o talent acquisition como uma estratégia de antecipação das necessidades da empresa, enquanto o recrutamento é uma prática mais operacional que compõe a estratégia. 

RH estratégico

Com tantas vantagens e profissionais que envolvem o recrutamento e seleção de pessoas, é importante ressaltar que essa área tem se tornado cada vez mais estratégica dentro das corporações.

Você já deve ter ouvido muitas vezes que “pessoas são o principal ativo de uma empresa”, e esse é um fato. 

A tecnologia veio para agregar, tornar processos mais eficazes e promover o crescimento das instituições. Mas o que seria de tudo isso sem a sensibilidade do fator humano?

O RH estratégico é aquele que observa os profissionais de forma tática, a partir de dados reais trazidos pela tecnologia, e utiliza a mesma para otimizar os seus processos. Com isso, é possível tomar decisões acertadas visando o crescimento, rentabilidade e sucesso do profissional e da empresa.

Empresas competitivas sabem que o seu sucesso não depende apenas da quantidade de clientes que possuem, mas também dos colaboradores que escolhem para ajudar no seu crescimento.

Dessa forma, o RH estratégico surge como uma ação que vai além das contratações. Ele tem o objetivo de garantir que as pessoas se mantenham engajadas, produtivas e com valores alinhados ao da instituição.

Para se ter uma ideia, empresas que investem em um RH estratégico possuem um desempenho até 51% melhor que as outras, segundo um estudo publicado na revista Harvard Business.

Portanto, enxergar o recrutamento e seleção de forma estratégica é atualmente a melhor forma de transformar processos internos, tornando-os mais simples, rápidos e eficientes.

recrutamento e seleção

Quais os tipos de recrutamento e seleção?

Até aqui você já conhece um pouco sobre o que é, quais as vantagens e os profissionais envolvidos no recrutamento e seleção. Agora é hora de começar a entender mais a fundo sobre os processos.

Para começar, é importante lembrar que existem basicamente, três tipos de processos recrutamento e seleção, e cada um deles oferece as suas vantagens:

Recrutamento externo 

Busca de novos profissionais no mercado, com o objetivo de alcançar perfis que a empresa ainda não possui. 

Sendo assim, tipo de recrutamento pode ser feito por meio de indicação, divulgação por parte da empresa, agências de emprego, agências de recolocação profissional, banco de talentos, entre outros. Esse formato de busca alcança um número maior de candidatos do que internamente e também apresenta algumas vantagens, como:

  • Alimentação do banco de dados para futuras oportunidades;
  • Possibilidade de novos perfis que podem agregar à empresa;
  • Aumento da visibilidade da instituição;
  • Ganhos em relação à competitividade;
  • Fortalecimento da cultura organizacional.

Por outro lado, esse processo também pode custar mais caro, gerar riscos de contratações ruins e desmotivar colaboradores.

Recrutamento interno

Se trata da seleção dos talentos que já trabalham na empresa, visando aproveitar as suas habilidades e gerar a oportunidade de crescimento profissional.

As vagas são divulgadas internamente para quem se interessar, ou os gestores definem os profissionais que se enquadram melhor à nova função.

As vantagens do recrutamento interno são:

  • Processo mais barato e rápido;
  • Gera mais motivação e engajamento dos colaboradores;
  • Retenção de talentos;
  • Mais chances de fazer a escolha certa.

No entanto, dessa maneira, as possibilidades podem ser mais limitadas e, se não houver planejamento, recrutar internamente pode gerar um problema no deslocamento do profissional para outro cargo.

Recrutamento misto

É quando a empresa abre a vaga para todos os candidatos, sejam eles internos ou externos. Esse tipo de recrutamento costuma atrair uma grande quantidade de pessoas interessadas e fica a critério da empresa decidir o melhor perfil.

As vantagens desse modelo são:

  • Processo rápido;
  • Muitos candidatos para avaliar;
  • Chances maiores de encontrar o profissional certo;
  • Aumento da visibilidade da instituição.

Saiba mais sobre os tipos de recrutamento

recrutamento e seleção misto

Recrutamento Online 

Embora esse não seja um tipo de recrutamento, é importante mencionar que os modelos apresentados anteriormente são aderentes aos processos online. Portanto, o profissional de RH pode escolher por conduzir a contratação de forma online, com softwares de recrutamento e seleção ou apenas com etapas presenciais. 

As vantagens do recrutamento online são:

  • Automatização de etapas burocráticas; 
  • Facilidade aplicar testes;
  • Aplicação de filtros específicos para triagem;
  • Economia de tempo no processo. 

Qual a estrutura ideal da área de R&S?

Se a sua empresa ainda não tem um RH estruturado ou se quer melhorar o departamento, existem alguns pontos que precisam ser considerados.

Volume de demanda

Avalie se na sua empresa existe demanda suficiente para contar com uma área de recrutamento e seleção de pessoas. 

Isso porque, algumas vezes é possível contar com ferramentas que ajudam nesse processo ou agências de contratação terceirizadas, e quando a demanda crescer, a instituição pode pensar em um time voltado para essa função.

Processos

Se a sua empresa já possui ou está estruturando a área de recrutamento e seleção é importante se atentar aos processos. Cada tipo de cargo possui um direcionamento em relação à seleção, mas quando se trata do recrutamento e das ações como um todo, é importante que exista um padrão. 

Esse padrão nos processos seletivos vai ajudar a melhorar a organização da equipe e também a experiência dos candidatos, além de facilitar o recrutamento em outros momentos, uma vez que é possível replicar os padrões.

Tecnologia

A transformação digital no RH se tornou essencial para otimizar os processos e acelerar as contratações. Empresas que investem em tecnologia no RH já estão a um passo à frente no mercado e se tornam mais desejadas pelos candidatos.

Além disso, esse fator também ajuda a melhorar a produtividade dos profissionais da área.

Veja como a Brasil Risk implementou o RH Digital 4.0 com PandaPé

Equipe

O uso de tecnologias aliado ao fator humano é o melhor caminho para resultados satisfatórios no processo de recrutamento e seleção. Por isso, escolha muito bem a equipe que comandará o departamento. Nessa hora, a experiência pode ser um grande diferencial.

recrutamento e seleção

Principais etapas do recrutamento e seleção

Neste tópico vamos falar ao que se refere à rotina do recrutamento e seleção de pessoas. Colocar esse trabalho em prática requer organização e o acompanhamento de diversas etapas.

Cada vaga demanda de um estilo de contratação e diferentes combinações de técnicas, mas reunimos aqui as mais comuns e eficazes para te ajudar a encontrar o candidato ideal.

1. Alinhe os requisitos da vaga

A primeira ação necessária após a abertura de uma vaga é entender o perfil desejado pela empresa. 

Ou seja, entender por meio de conversas com o gestor qual é o perfil de profissional que o RH deve recrutar. São com essas informações e com análises do clima organizacional que o setor de recrutamento irá traçar o candidato ideal.

Como definir critérios de contratação

Nesse ponto, é importante desenhar  exatamente o perfil do  profissional certo, quais são as competências, habilidades e capacidades de relacionamento esperadas dele e o que a empresa oferecerá de salário, benefícios, plano de carreira e outros.

Essa definição poderá variar muito de acordo com a necessidade da vaga, mas é importante que ela esteja sempre pautada também no Fit Cultural da empresa.

Ter tudo isso alinhado irá facilitar a aplicação de testes e escolha do profissional mais aderente, o que impacta na redução dos índices de turnover.

2. Divulgação da vaga

A divulgação da vaga é sem dúvida uma das mais importantes no processo seletivo. Afinal, é nesse momento que o RH irá captar o profissional que vai integrar a equipe. 

Além disso, ao atrair candidatos aderentes, os recrutadores economizam tempo em outras etapas do recrutamento, o que claramente é vantajoso para o processo seletivo.

Na hora da divulgação é importante ser transparente, escrever o job descripiton de forma atraente e apresentar os valores da marca. Com isso bem esclarecido, os candidatos que se aplicam a vaga tendem a ser mais qualificados.

Observe também quais são os canais ideais para atrair o perfil que a empresa precisa.

Com PandaPé é possível divulgar a sua vaga em mais de 16 jobsites em poucos cliques. Assim, o recrutador otimiza o tempo e garante mais opções de candidatos.

3. Triagem de candidatos

É nessa etapa que os profissionais de recrutamento e seleção se dedicam a avaliar os currículos. O RH deverá cruzar os critérios solicitados na vaga com as informações dos currículos recebidos, e assim, filtrar os candidatos que irão para a próxima etapa do processo seletivo.

Essa costuma ser uma etapa manual e burocrática no processo seletivo, mas que pode ser otimizada com o recurso de Smart Recruiting, tecnologia que automatiza os fluxos de seleção e existe em ATS como o PandaPé.

4. Análise dos candidatos

Esse é um momento decisivo para uma contratação eficiente. Nessa etapa, é possível aplicar testes de raciocínio lógico, teste comportamental DISC, competências, Fit Cultural e outras avaliações personalizadas de acordo com cada vaga.

Depois de avaliar com os testes, a entrevista conduz o processo seletivo para o final, e nessa etapa o recrutador pode compreender a real aderência dos profissionais. Além de avaliar se as informações apresentadas no currículo são realmente adequadas à vaga.

Com PandaPé esse processo se torna otimizado a partir da Inteligência Artificial que avalia os perfis mais adequados à vaga.

5. Avaliar os dados

O RH moderno é estratégico e pautado em dados, como você viu nos tópicos anteriores. Por isso, após realizar cada uma das etapas do processo seletivo, é hora de escolher o candidato pautado nos KPIs.

Essa é uma etapa fundamental para um recrutamento assertivo, uma vez que indica as metodologias que fazem sentido no recrutamento.

Para isso, mais uma vez contar com a tecnologia pode ser a melhor saída. Um ATS como o PandaPé que cria ranking dos profissionais mais indicados para a sua vaga pode fazer a diferença neste momento.

6. Proposta e feedback

Depois de avaliar os candidatos, é hora de enviar a proposta para aquele que se encaixou melhor na sua busca e garantir um feedback para aqueles que não foram escolhidos.

Muitas empresas costumam falhar nessa etapa e deixar os candidatos sem feedbacks. Isso além de gerar frustração nas pessoas, também cria uma imagem negativa em relação à sua empresa.

Para otimizar esse processo, PandaPé também oferece uma funcionalidade para o contato com os candidatos e, em alguns casos, ainda é possível programar respostas de acordo com cada etapa do processo seletivo.

O que é jornada do candidato?

Assim como todo envolvimento entre empresas e pessoas existe um começo, meio e fim, existe a jornada do candidato que não é diferente, e está diretamente ligada ao processo de recrutamento e seleção

Imagine o processo de compra do cliente, no qual ele pesquisa o produto, entende as suas vantagens, escuta opiniões e só depois disso decide a compra. Com a jornada do candidato funciona de forma parecida, mas o produto em questão seria a sua empresa e a vaga aberta.

A jornada do candidato, também conhecida como funil de recrutamento, se trata de uma maneira de enxergar todo o processo seletivo como um trajeto que demanda diferentes necessidades e etapas.

Para o profissional de RH, entender essa jornada é importante para criar uma  conexão maior com os candidatos e desenhar de maneira clara tudo o que acontecerá durante a sua experiência com a empresa, desde a etapa de recrutamento até a contratação. 

Para entender mais sobre esse assunto, vamos falar sobre um termo também já conhecido por muitos profissionais: o candidate experience.

Candidate experience: por que se preocupar com isso

As empresas que desejam contratar os melhores talentos já sabem a importância e aplicam o candidate experience. Isso porque, os bons profissionais do mercado também estão buscando a empresa que mais os agrada e compartilhe dos mesmos valores.

Isso significa que, mais do que buscar candidatos, as empresas precisam trabalhar para que as suas vagas façam “brilhar os olhos”. Afinal, todo profissional tem a “oportunidade dos sonhos” construída em sua cabeça.

Atrair bons profissionais requer um bom planejamento estratégico. Desse modo, precisamos elevar o nível da atração para “encantamento”. Isso é, para que o encontro de sucesso aconteça, candidatos e empresas precisam estar satisfeitos com essa união.

Para promover o candidate experience e melhorar o seu recrutamento e seleção é necessário garantir pontos como:

  • Processo seletivo otimizado de ponta a ponta;
  • Etapas e próximos passos claros;
  • Contratação transparente;
  • Cumprimento Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD);
  • Fortalecimento as ações de Employer Branding;
  • Investimento em Fit Cultural;
  • Interação e garantia de feedback para os candidatos;
  • Ferramentas de recrutamento e seleção que ajudem a promover todos esses pontos de forma assertiva.

Ações como essas melhorarão não só a experiência do candidato, como também o posicionamento da sua empresa como marca empregadora.

Inbound Recruiting e Outbound Recruiting

Outra estratégia que algumas empresas utilizam para encantar os candidatos é o Inbound Recruiting. Por isso, não poderíamos deixar de falar desse tema.

O termo Inbound Recruiting tem origem em práticas de marketing, por isso o fundamento é o mesmo quando falamos que o candidato é o cliente da sua empresa, e que é preciso encantá-lo. 

No Inbound Recruiting, o RH busca criar uma relação com possíveis candidatos, por meio de ações de marca empregadora. Ou seja, o objetivo é mostrar que a sua empresa é um bom lugar para se trabalhar e com isso, o profissional se sente atraído para tentar uma oportunidade na empresa.   

Já o Outbound Recruiting é a metodologia mais tradicional de recrutamento e seleção, que consiste basicamente na busca ativa dos recrutadores pelos candidatos certos, e acontece exclusivamente no momento em que o RH precisa fechar uma vaga.

Saiba tudo sobre essas duas práticas de atração de talentos 

Como inserir a diversidade e inclusão no R&S

Um dos desafios dos profissionais de RH atualmente é tornar os processos seletivos mais inclusivos. A sua empresa já tem feito isso?

De acordo com um estudo realizado pela McKinsey, uma empresa de consultoria, organizações que consideram a diversidade na hora de recrutar entregam resultados 25% melhores do que empresas “não-diversas”.

Embora esteja claro a importância da diversidade, em termos de negócio, há pouco tempo isso vem chamando a atenção das empresas. A quebra de paradigmas em relação à diversidade vem sendo acontecendo aos poucos, e nesse sentido, o papel do RH é fundamental.

A contratação pautada na diversidade deve apresentar vantagem para ambas as partes. Ou seja, a instituição deve estabelecer uma parceria mútua, que agregue valor e respeite as individualidades dos contratados.

Para ajudar nesse papel, o RH pode implementar o chamado “recrutamento às cegas”, que avalia somente as habilidades técnicas e comportamentais do candidato, sem informações que ressaltem suas condições físicas, gênero, raça, cor, entre outros.

Além disso, a tecnologia também pode ser uma aliada nesse sentido, proporcionando a criação de processos seletivos que dão prioridade para contratações de perfis mais diversos.

Saiba mais sobre o assunto neste material:

Tendências: o futuro do recrutamento e seleção

Você consegue se lembrar quando as empresas começaram a recrutar pelas redes sociais? Pois é, faz bastante tempo e isso é algo muito comum hoje em dia. 

Algumas tendências chegaram para ficar no recrutamento e seleção de pessoas. Muitas delas, já são inclusive aplicadas por empresas com o RH mais tradicional.

Mas o fato é que as instituições que ainda não aproveitam os recursos, precisam começar a conhecê-los, pois eles estão se tornando cada vez mais necessários para digitalizar e otimizar o setor. Veja alguns exemplos:

Recrutamento online e vídeo entrevista

Muitas empresas já vinham aplicando essa iniciativa no processo de recrutamento e seleção, mas com a pandemia mundial e o home office cada vez mais em alta, isso se tornou ainda mais comum.

O recrutamento e seleção à distância e a vídeo entrevista são, atualmente, maneiras de otimizar os processos seletivos, tanto para o recrutador e para a empresa, quanto para o candidato. Para ambos, essas ações ajudam a gerar economia de tempo e dinheiro.

Veja também: “Vídeo entrevista: as melhores práticas para avaliar os candidatos”.

People Analytics

People Analytics, ou análise de pessoas, é uma metodologia baseada em dados. O seu objetivo nada mais é do que coletar, organizar e orientar a equipe de RH por meio de softwares que cruzam as informações e apresentam resultados para a tomada de decisão.

Normalmente, esse tipo de recurso é utilizado para medir a satisfação, o engajamento e a produtividade dos colaboradores, mas ele também pode e deve ser aplicado na hora do recrutamento e seleção. Afinal, isso pode promover contratações com perfis mais alinhados ao Fit Cultural.

Machine Learning e Inteligência Artificial

Basicamente o machine learning é a capacidade da máquina de aprender através do cruzamento de dados e do comportamento humano. O machine learning faz parte da grande camada de possibilidades que a Inteligência Artificial oferece.  

Plataformas de streaming como a Netflix são bons exemplos do uso do machine learning, quando acontecem as recomendações de novos conteúdos, baseados no padrão de comportamento do usuário. 

Em resumo, a sua aplicação no recrutamento e seleção pode ajudar a guiar e orientar os profissionais de RH. Afinal, os algoritmos são usados para coletar dados, aprender com eles, e então, oferecer informações de acordo com o interesse do usuário, nesse caso, o recrutador e os padrões de contratação.

Gamification (gamificação)

O conceito descontraído muitas vezes se aplica perfeitamente bem às atividades do RH, afinal, dessa forma é possível entender melhor os colaboradores, sem precisar criar qualquer tipo de pressão.

Embora a gamificação no RH seja algo distante para muitas empresas, mas se trata de uma estratégia importante para motivar os colaboradores e melhorar os resultados, principalmente com as novas gerações de profissionais. Na prática, ela utiliza elementos dos jogos para envolver, motivar e engajar as pessoas para desenvolverem determinadas ações.

Já no recrutamento e seleção, a tecnologia se apresenta em formatos de quiz que vão ajudar a entender melhor o perfil do candidato a partir dos resultados apresentados.

Cases de sucesso: empresas que melhoraram resultados ao modernizar o R&S

Se tornar um profissional de RH cada vez melhor e elevar os resultados deste setor na empresa é o desejo de muitos colaboradores. Por isso, depois de ler todos esses conteúdos que vão te ajudar a ter ideias para melhorar a rotina, preparamos este tópico.

Podemos dizer que algumas empresas “trilham o caminho das pedras” para que outras possam aprender com elas. Sendo assim, reunimos cases de sucesso de organizações  que transformaram a área de recrutamento e seleção e elevaram seus resultados com PandaPé, o ATS do InfoJobs.

Confira:

FEMME Laboratório da Mulher

Após identificar falhas nos processos de R&S, o FEMME encontrou no PandaPé o software ideal para reduzir o volume de atividade operacional, diminuir os custos de contratação e encontrar os candidatos certos.

Com isso, ao encontrar os profissionais alinhados as expectativas da empresa, o FEMME conseguiu contratar profissionais 40% mais comprometidos e engajados, reduzindo em 30% o turnover.

Saiba mais sobre a história de sucesso do FEMME

Track&Field

A equipe de recursos humanos da Track&Field começou a mudar de mindset ao digitalizar e automatizar o recrutamento. Os recursos para customizar a triagem de currículos de acordo com os filtros corretos e afunilar as etapas do processo garantiram a otimização necessária para contratar de forma ágil e alinhada ao Fit Cultural da marca.

Outra vantagem, foi a personalização do contato com os candidatos para enviar feedbacks adequados, além disso, ainda foi possível garantir a adequação à LGPD. 

A empresa passou a minimizar o tempo e ter mais assertividade nas contratações, além de oferecer uma experiência melhor aos candidatos.

Veja mais sobre como a Track&Field alcançou estes resultados!

iigual Inclusão e Diversidade

A iigual conheceu o PandaPé e com essa parceria foi possível centralizar as informações dos processos seletivos em um único lugar e obter disponibilidade de perfis para as vagas em aberto.

Com a tecnologia do PandaPé a empresa ganhou 60% mais agilidade e eficiência em seus processos de recrutamento e seleção, reduzindo o SLA e tornando as contratações mais eficientes com o uso da Inteligência Artificial.

Saiba mais sobre a história de sucesso da iigual

Onde acompanhar tudo sobre recrutamento e seleção?

Profissionais de RH precisam estar sempre atualizados em tudo o que surge de novidade na área e que pode ajudar a otimizar o seu dia a dia. Pensando nisso, PandaPé e InfoJobs oferecem semanalmente novos conteúdos que podem elevar os seus conhecimentos e melhorar os seus resultados em recrutamento e seleção.

Você pode acompanhar tudo isso pelos links abaixo:

Bônus!

Se você chegou até aqui já deve ter percebido que o recrutamento e seleção de pessoas vem se transformando a cada ano. A área tem se tornado mais estratégica e responsável pelo crescimento dos resultados das empresas.

Muito disso se deve à tecnologia aplicada no RH. Ter um software de recrutamento pode gerar muitas facilidades para a empresa e, principalmente, para os colaboradores da área. Tarefas comuns do dia a dia dos profissionais de RH podem ser otimizadas, principalmente quando se trata do recrutamento e seleção. 

Além disso, ter um software para RH é uma maneira de centralizar, acompanhar e mensurar os resultados e ações dos profissionais da equipe, como também das contratações realizadas.

O PandaPé é um software de recrutamento e seleção desenvolvido pelo InfoJobs, e o único ATS com integração ao banco de dados com mais de  41 milhões de perfis cadastrados. A tecnologia garante a otimização dos principais desafios quando se trata do gerenciamento de recursos humanos.

Com o PandaPé, é possível centralizar as informações dos processos seletivos e realizar contratações estratégicas  baseadas em dados. Além disso, o tempo de publicação, triagem e análise de currículos pode ser reduzido, uma vez que a Inteligência Artificial assume parte desse papel.

Faça um teste grátis e descubra se esse é o software ideal para a sua empresa!